• A fotofobia é um problema bastante comum. Trata-se de um desconforto visual gerado quando as pessoas olham diretamente para a luz ou se deslocam e permanecem em um ambiente de maior claridade. Essa sensibilidade à luz está normalmente associada a fatores que vão desde pequenas irritações momentâneas até doenças oculares mais graves, como catarata. 


    A importância das pessoas procurarem um médico, sempre que notarem sintomas de fotofobia. Qualquer alteração nos olhos deve ser investigada, pois o ser humano utiliza a visão em cerca de 80% de suas atividades diárias.


    O grau de fotofobia, varia individualmente de acordo com a quantidade de luminosidade tolerável a cada um. Quem possui albinismo ou olhos claros, por exemplo, é mais propenso em virtude da quantidade menor de pigmento na íris, o qual ajuda a proteger no momento de enxergar em espaços de iluminação mais intensa. 


    Outros, porém, podem começar a apresentar a sensibilidade a partir de uma situação específica, como uma poeira ou cisco que gera uma inflamação, uma conjuntivite, uma úlcera na córnea causada pelo uso incorreto de lentes de contato e a ceratite, que é o ressecamento da córnea ocasionado, principalmente após longa exposição em frente à tela de computadores ou equipamentos eletrônicos. 


    Uma boa maneira de prevenir a fotofobia é utilizar lentes fotossensíveis, já que elas ajudam a ajustar a incidência da luminosidade nos olhos ao se adaptarem com a quantidade de luz do ambiente. Além disso, as lentes fotossensíveis são uma proteção para os olhos a longo prazo por bloquearem os raios UVA e UVB.




    Dr Visão