• Os acidentes oculares são uma das principais causas de cegueira no mundo todo. Por isso é tão importante aprender a se prevenir contra o pior. De acordo com o oftalmologista Renato Neves, diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos, em São Paulo, os sintomas podem surgir imediatamente após um determinado incidente ou mesmo depois. É o caso, por exemplo, das queimaduras por solda elétrica. “Neste caso, o paciente costuma sentir uma dor intensa depois de ter pegado no sono, acordando subitamente como se a córnea estivesse ardendo em chamas”, diz o médico.


    Independentemente do tipo de acidente, é sempre bom levar a vítima a um oftalmologista para que ele possa avaliar o quadro com precisão e prescrever o melhor tratamento possível. De acordo com o especialista, os principais sintomas são dor, ardência ou queimação, vermelhidão, lacrimejamento persistente, dificuldade de enxergar em locais claros (fotofobia), embaçamento ou diminuição da visão, ressecamento, sensação de areia ou qualquer outro corpo estranho nos olhos, visão dupla ou formação de halos coloridos ao redor da luz, inchaço nas pálpebras, pupilas desiguais, olho saltado, queda de pálpebras ou mesmo contrações espontâneas e ininterruptas.
     

    “Há pessoas que negligenciam os sinais apresentados e depois, com o agravamento do quadro, têm de ser submetidas a tratamentos mais prolongados, correndo até mesmo mais riscos de comprometer a visão”, diz Neves. O médico explica que há quatro tipos principais de acidentes oculares: superficiais, perfurantes/penetrantes, contusos (batidas, boladas, socos) e fraturas de órbita. “A prevenção desses acidentes é muito importante, porque eles podem gerar desde incapacidades temporárias até limitações permanentes, comprometendo a qualidade de vida do paciente para o resto da vida”.
     

    No trabalho, a maior incidência de acidentes envolvendo os olhos se dá na indústria metalúrgica, mecânica, têxtil e química, na construção civil, marcenaria, cerâmica, odontologia, nos salões de beleza e nas artes gráficas. Em casa, as principais vítimas são idosos e crianças, quase sempre envolvendo objetos pontiagudos ou cortantes, brinquedos, produtos químicos, inflamáveis, aerossóis, e até mesmo plantas.

     
    No esporte, o que mais preocupa na opinião do médico são as contusões oculares. “Para evitar que boladas, socos, chutes e cotoveladas tomem maiores proporções, vale a pena prevenir acidentes utilizando óculos de proteção, sempre que possível. Para cada esporte há equipamentos de proteção adequados que devem ser adotados com rigor”.



    Fonte: Press Página