• Sempre que algum líquido entra em contato com a superfície ocular, este pode acarretar uma queimadura química com consequências das mais diversas, desde uma simples hiperemia conjuntival (olho vermelho) até mesmo consequências mais graves como úlceras coreanas, inflamação intraocular, elevação de pressão intraocular, necrose da superfície ocular ou até mesmo perfuração do globo ocular.

    Em todos os casos, mesmo se tratando de substâncias ácidas ou básicas, não devemos tentar neutralizar o agente nocivo com outro agente, ou seja, não devemos colocar uma substância básica para neutralizar uma substância ácida que caia nos olhos. A orientação em todos os casos é evitar que mais agente nocivo caia nos olhos e lavá-los com água corrente.

    Assim a solução é lavar em exaustão a superfície ocular com água mineral ou água filtrada. Se não utilizar água corrente como torneira ou chuveiro, utilizar mais de 3 litros de água. Neste caso, o excesso não fará mal. Feito isso, procure atendimento médico de urgência com oftalmologista para avaliar os danos e a necessidade de colírios, pomadas e medicações. Com a super cola é um pouco diferente, quando entra em contato com a superfície ocular acaba polimerizando, ou seja, endurece e ganha a sua propriedade de aderência. É por isso que neste tipo de temos, na maioria das vezes, os cílios superiores e inferiores colados uns nos outros.

    A queimadura não é o mais devastador aqui, mas sim os cílios “colados” uns nos outros, que assustam e muito pacientes e acompanhantes.  Fique calmo! Aqui, da mesma forma, devemos lavar a superfície ocular e procurar atendimento oftalmológico. Às vezes é possível retirar a cola aderida com pinças apropriadas, outras vezes é necessário cortar os cílios próximos à base palpebral e aguardar que cresçam novamente com o tempo.

    Por último, mas não menos importante, vamos falar de corpo estranho ocular. “Caiu um cisco no meu olho. Retire pra mim?” Quantas vezes já não escutamos isso? Nunca devemos tentar sozinhos, sem a ajuda de um oftalmologista.

    Essa tentativa pode piorar algum machucado já ocasionado, podendo levar bactérias e infeccionar, causando uma ferida que antes não estava infectada. E a pior consequência, caso tenha ocorrido uma perfuração do globo ocular, retirar o corpo estranho pode acarretar em extravasamento de conteúdo intraocular que estava tamponado com o corpo estranho.

    Com estas dicas é possível cuidar inicialmente do ferimento ocular e prosseguir com a consulta o mais rápido possível com oftalmologista para garantir a saúde de nossos olhos.


    Fonte: http://portaldaoftalmologia.com.br/