• Quando uma criança nasce prematuramente, às vezes, nem todos os seus órgãos estão completamente formados. É preciso um cuidado especial para garantir que ela tenha condições de se desenvolver por completo, e esta atenção também deve se estender aos olhinhos do bebê.

    A retinopatia da prematuridade é o crescimento desorganizado dos vasos sanguíneos que suprem a retina (camada mais interna do globo dos olhos) do bebê. Esse vasos podem sangrar e, em casos mais sérios, a retina pode deslocar e ocasionar a perda da visão da criança.

    Isso acontece mais nos bebês prematuros pela imaturidade desses vasos sanguíneos. Os vasos terminam de se formar até o final da gestação e nos prematuros não estão totalmente formados. Mesmo crescendo após o nascimento prematuro, podem crescer de modo desarranjado, ocasionando a retinopatia.

    Os bebês com maiores fatores de risco para essa doença são os que nasceram com menos de 32 semanas, peso menor de 1500 gramas e fizeram uso de oxigenioterapia. O primeiro exame deve ser realizado entre a 4ª e 6ª semana de vida por um médico oftalmologista. Os demais exames serão agendados de acordo com o achado no primeiro exame. E, mesmo o primeiro exame sendo normal, o bebê prematuro deve realizar uma segunda consulta aos seis meses de vida, pelo maior risco de ametropias.

    Com toda a fragilidade dos pequenos, é muito importante realizar todos os exames recomendados, em especial, o teste do olhinho.



    Fonte: Portal da Oftalmologia