• ENTRÓPIO
    É um mau posicionamento da pálpebra que se caracteriza pela sua inversão e toque dos cílios para o olho, levando a lacrimejamento, olhos vermelhos e conjuntivite de repetição. Inclusive podendo levar a perda da visão se ocorrer lesão da córnea. Seu tratamento é apenas cirúrgico. 


    ECTRÓPIO
    É um mau posicionamento da pálpebra, ocorrendo quase que exclusivamente nas inferiores. Caracteriza-se pela sua eversão, ou seja, ela dobra-se para fora do olho.Como principais sintoma temos o lacrimejamento, olhos vermelhos e conjuntivites de repetição. Seu tratamento é cirúrgico e dependente da gravidade da eversão.


    TRIQUÍASE
    É nada mais do que o crescimento anômalo dos cílios, Estes cresce para dentro o olho, produzindo grande desconforto. Dependendo do número de cílios, o atamento pode ser com laser ou cirúrgico.


    OBSTRUÇÃO DO CANAL LACRIMAL
    Pode ser congênita, quando o recém nascido apresenta uma mal formação da parte distal do canal lacrimal e adquirida quando o adulto ou idoso é portador de sinusites crônicas, lesões palpebrais traumáticas ou doenças nasais. Quando congênito,  96 % dos casos é resolvido com massagem,  casos com má evolução tratamos com sondagem e em último caso cirurgia. Regra não válida par a obstrução adquirida, em que indicamos de imediato a cirurgia.


    DERMATOCALASE
    Nada mais é do que o excesso de pele nas pálpebras, que pode está associada com a bolsas de gordura. Nos casos extremos está associada com sensação de peso nas pálpebras, olhos estreitos e ”cansados” Seu tratamento é apenas cirúrgico.


    PTOSE PALPEBRAL
    É a queda da pálpebra superior. Pode ser congênita, quando a criança nasce com o defeito ou adquirida, como exemplo tem a senil e a traumática. Independente da origem o tratamento é apenas cirúrgico.


    PTERÍGIO
    Conhecido popularmente como carnosidade. Caracteriza-se por tecido vascular e avermelhado crescendo sobre o olho. O seu tratamento é cirúrgico tendo como indicações principais a estética e comprometimento visual.

     
    TUMORES PALPEBRAIS:
    Podem ser benignos ou malignos. O primeiros representados principalmente pelo hidrocistoma, verruga, nevus, xantelasma dentre outros. O segundo pelos carcinoma basocelular e de glândulas sebáceas. Podemos tratar os benignos com laser, dependendo da extensão e cirurgicamente. Já os malignos são de tratamento apenas cirúrgico.