Recém-nascidos e crianças também podem desenvolver catarata – CTV

Recém-nascidos e crianças também podem desenvolver catarata

Recém-nascidos e crianças também podem desenvolver catarata

 

Muita gente acha que a catarata é uma doença que começa a se manifestar a partir dos 50 anos de idade, mas essa não é uma patologia que compromete apenas os adultos e idosos. Crianças podem nascer com o cristalino, que é uma das lentes naturais do olho (a outra é a córnea), opacificada e também podem ter a visão embaçada e as cores esmaecidas ainda na infância. Elas precisam de tratamento urgente quando têm este diagnóstico, para evitar a perda parcial ou total da visão.

 

O exame do olhinho é obrigatório por lei em todas as maternidades brasileiras. O profissional de saúde aponta uma lâmpada especial com uma luz vermelha para os olhos do bebê e verifica se há reflexo vermelho (cor natural da retina, o fundo do olho). Quando o reflexo luminoso está branco ou ausente, pode indicar a existência de algum impedimento para a chegada da luz ao fundo do olho, como a catarata, por exemplo.

 

A melhor forma de prevenir ou diagnosticar a catarata congênita em tempo de tratar é fazendo o acompanhamento pré-natal e o exame ocular no recém-nascido. 

 

A catarata também pode acometer crianças na média infância. Fatores como heranças genéticas, traumas oculares, inflamações dentro do olho (uveítes) e o uso inapropriado de corticoides podem desenvolver a opacidade no cristalino.

 

A criança também pode apresentar dificuldade para reconhecer pessoas perto ou para ver televisão. Há situações em que pais descobrem que há algo errado com os olhos dos filhos ao tirar fotos e perceberem um reflexo branco na imagem.

 

O tratamento tanto para a catarata congênita quanto para a infantil varia de acordo com a incidência da doença (em um ou em ambos os olhos), mas a cirurgia do cristalino ocorre nas duas situações.

 

Quando apenas um olho é acometido pela catarata, é necessário extrair o cristalino e, dependendo da idade, já implantar uma lente intraocular, já que a diferença muito grande de grau entre os olhos faz com que o cérebro tenha dificuldade de formar uma imagem. 

 

Sinais e sintomas

 

– Visão nebulosa;

 

– Enxergar brilhos e halos;

 

– Visão dupla;

 

– Dificuldade para ler, dirigir e andar;

 

– Sensibilidade à luz.

 

Fatores de risco

 

– Idade: uma em cada cinco pessoas com mais de 65 anos desenvolvem catarata. Essa proporção aumenta a partir dos 75, quando metade dos indivíduos tem a doença;

 

– Doenças infecciosas nos olhos;

 

– Diabetes;

 

– Exposição exagerada e sem proteção à luz solar;

 

– Tabagismo;

 

– Uso prolongado de colírios à base de corticoides;

 

– Traumas na região dos olhos.

 

Fonte: Folha Vitória

Categories : Notícias Todas